Alelo posiciona marca para atingir um terço do mercado

Ernani Fagundes
Publicado terça-feira, 22 de novembro de 2011, DCI

São Paulo - A Companhia Brasileira de Soluções e Serviços, administradora de cartões pré-pagos pertencente ao Banco do Brasil e Bradesco, anunciou ontem seu novo nome - Alelo - e o posicionamento de mercado para os próximos anos. "Nosso objetivo é alcançar um terço do mercado de cartões pré-pagos", declarou o presidente da Alelo, Newton Neiva.

O executivo justificou essa meta pelo tamanho da cobertura nacional de seus dois controladores, o Banco do Brasil e o Bradesco. "Além da pessoa jurídica, também vamos atuar no segmento para pessoas físicas", afirmou.

A nova marca já nasce com 5,4 milhões de cartões, quase a totalidade vinculada ao Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) com 1,8 milhão de cartões Refeição Visa Vale e 3,6 milhões de cartões Alimentação e Cesta Alimentação Visa Vale.

Dados fornecidos pelo diretor-comercial da Alelo, Ronaldo Varela, indicam que a companhia deve fechar 2011, com R$ 13 bilhões em faturamento, ou 35,13% dos R$ 34 bilhões do PAT. "Em comparação com 2010 quando faturamos R$ 10,3 bilhões, o crescimento deve ficar em torno de 26% em 2011", calculou Ronaldo Varela.

Para alcançar a participação de mercado desejada, a Alelo deve começar a operar com a bandeira Elo a partir do segundo semestre de 2012. "Qualquer semelhança entre Alelo e Elo é mera coincidência", brincou o diretor. O novo posicionamento da companhia é por meio do conceito multibandeira, atuando além da Visa, com outras bandeiras. "A Alelo será uma marca independente e para dois públicos, o B2B e o B2C", detalhou Varela.

O primeiro produto da companhia para pessoa física foi o cartão pré-pago de câmbio MoneyCard em dólar. Lançado em 2011, o produto ofertado em 200 agências do Bradesco alcançou 15 mil cartões emitidos.

Até a primeira semana de dezembro, a Alelo deve colocar na praça as versões MoneyCard Euro, MoneyCard Libra e MoneyCard Real, esse último para turistas estrangeiros em visita ao Brasil. "O fluxo de turistas deve aumentar, e o anúncio objetiva aumentar o conhecimento do produto bem antes dos eventos internacionais que serão realizados aqui", disse Varela referindo-se a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas de 2016. "Nosso objetivo é que o turista já venha com o cartão no bolso. Vendas podem ser feitas tanto pela Internet como por meio de acordo com agências de turismo no exterior", deseja o diretor.

A Alelo também vê oportunidade em fornecer soluções para governos em programas sociais. "Em breve, esses cartões do INSS e do Bolsa Família poderão permitir que a pessoa possa fazer compras sem ter a necessidade de ir até um banco sacar o dinheiro", manifestou Newton Neiva.

O presidente não informou quando essa iniciativa pode tornar-se realidade, mas assegurou que a companhia tem conversado com as três esferas de governo, municipal, estadual e federal. "É um processo em desenvolvimento com prefeituras e Estados. A Caixa já realizou alguns testes nesse sentido", declarou.

Outro segmento que a Alelo pretende intensificar é o de gestão de vale transporte, ramo que gera R$ 600 milhões por ano em faturamento para a companhia. "Desde a aquisição da Smart Serviços em 2008, nossa atuação em vale transporte segue em crescimento, uma interface com 600 operadoras em todo o Brasil", contou o diretor-comercial.

Concorrência

Em número de trabalhadores, os números do Ministério do Trabalho e Emprego (MPE) apontam que a Sodexo Pass possui 30,86% de participação, seguida pela Alelo, com 28,40%, e pela Ticket, com 22,71% de participação.

A Sodexo informou por meio de sua assessoria de imprensa que possui 5,8 milhões de cartões emitidos, com 60 mil empresas clientes e 295 mil estabelecimentos credenciados.

A Ticket informa que possui 4,2 milhões de cartões eletrônicos com 57 mil empresas clientes e 320 mil estabelecimentos credenciados. Em comparação, a Alelo informa que possui 70 mil empresas clientes e 220 mil estabelecimentos credenciados.

2 comentários:

  1. Boa trarde !
    Um lixo passei a maior vergonha ao tentar usar meu visa vale , erstava bloqueado " por medida de segurança " sem que eu soubesse ; a vergonha ficou comigo !
    Alexandre

    ResponderExcluir
  2. Nunca passei vergonha nos meus 5 anos de Visa Vale.

    ResponderExcluir